Currículo Paulista

O CURRÍCULO PAULISTA

A Última Versão já foi entregue ao Conselho Estadual de Educação e espera ser Homologado…

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEESP) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de São Paulo (UNDIME/SP), seguindo no compromisso público de propor percursos para a melhoria do ensino e aprendizagem, apresentam o Currículo Paulista como documento orientador da Educação Básica nas escolas dos municípios e do Estado de São Paulo. Com a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para toda a Educação Básica iniciou-se uma nova etapa de construção curricular no Estado de São Paulo. Esta nova etapa teve início em 2018, quando a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo (SEESP) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de São Paulo (UNDIME/SP) efetivaram, em regime de colaboração e por meio de um conjunto de ações, oportunidades para que todas as redes de educação e sociedade pudessem participar da construção curricular. O regime de colaboração tem como objetivo romper a fragmentação das políticas educacionais e contribuir com as aprendizagens dos estudantes para melhorar a qualidade da educação além de pensar na integração da Educação Infantil com o Ensino Fundamental e deste com o Ensino Médio. O processo colaborativo que envolveu diversos atores educacionais, como redatoras e redatores municipais e estaduais, estudantes, professoras e professores, gestoras e gestores, dirigentes, familiares e sociedade civil, que se caracterizam como coautoras e coautores deste documento. A partir dos direitos de aprendizagem propostos na BNCC, os redatores alinharam diversos documentos curriculares de Municípios e do Estado, que resultaram no documento base, que foi para uma consulta online. 1 Com 90,8% de aprovação, foi possível articular sugestões e contribuições com o conhecimento pedagógico dos currículos em curso como referência, acrescidos de experiências escolares de sucesso. A partir destes recursos, a SEESP e a UNDIME/SP deram início a uma contínua produção e divulgação de subsídios, em regime de colaboração, para que as escolas do Estado e dos Municípios participassem, de forma qualificada, da construção do currículo.

Baixar Versão Final

Deixe uma resposta